Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo

Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo

Este é o 13º ano em que a celebração ocorre, mas talvez, o primeiro em uma situação tão atípica como a que estamos vivendo. Conheça as recomendações da Organização das Nações Unidas para essa data.

Dia 2 de abril é celebrado no mundo todo por meio de campanhas e ações de conscientização a necessidade de garantir a inclusão e o respeito aos direitos das pessoas com Transtornos do Espectro Autista. Uma das atitudes mais comuns e disseminadas é o uso da cor azul. Seja por meio da iluminação de mobiliários urbanos, como vestindo peças de roupas nessa cor.

Este anos, em especial, o mundo todo vive uma situação atípia, que é a pandemia causada pelo COVID-19. Obviamente isso gera impactos também na vida das pessoas com autismo e suas família. Por isso, nos inspiramos e gostaríamos de reproduzir aqui a mensagem do Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres, com diretrizes para nortear nossas ações nessa data:

“No Dia Mundial da Consciência do Autismo, reconhecemos e comemoramos os direitos das pessoas com autismo. A observância deste ano ocorre em meio a uma crise de saúde pública diferente de qualquer outra em nossas vidas – uma crise que coloca pessoas com autismo em risco desproporcional como resultado do coronavírus e seu impacto na sociedade.

As pessoas com autismo têm o direito à autodeterminação, independência e autonomia, bem como o direito à educação e ao emprego em pé de igualdade com os outros. Mas o colapso dos sistemas e redes vitais de suporte como resultado do COVID-19 exacerba os obstáculos que as pessoas com autismo enfrentam no exercício desses direitos. Devemos garantir que uma interrupção prolongada causada pela emergência não resulte em reveses dos direitos que as pessoas com autismo e suas organizações representativas trabalharam tanto para promover.

Os direitos humanos universais, incluindo os direitos das pessoas com deficiência, não devem ser violados no momento de uma pandemia. Os governos têm a responsabilidade de garantir que sua resposta inclua pessoas com autismo. Pessoas com autismo nunca devem ser discriminadas ao procurar atendimento médico. Eles devem continuar a ter acesso aos sistemas de apoio necessários para permanecer em seus lares e comunidades em tempos de crise, em vez de enfrentar a perspectiva de institucionalização forçada.

Todos nós temos um papel a desempenhar para garantir que as necessidades das pessoas que são desproporcionalmente impactadas pelo COVID-19 sejam atendidas durante esse período difícil. Informações sobre medidas de precaução devem ser fornecidas em formatos acessíveis. Também devemos reconhecer que, quando as escolas empregam ensino on-line, os alunos com formas de aprendizado não padronizadas podem estar em desvantagem. O mesmo se aplica ao local de trabalho e ao trabalhar remotamente. Mesmo nesses tempos imprevisíveis, devemos nos comprometer em consultar as pessoas com deficiência e suas organizações representativas e garantir que nossas formas não tradicionais de trabalhar, aprender e se envolver, bem como nossa resposta global ao coronavírus, sejam inclusivas. e acessível a todas as pessoas, incluindo pessoas com autismo.

Os direitos das pessoas com autismo devem ser levados em consideração na formulação de todas as respostas ao vírus COVID-19. No Dia Mundial da Consciência do Autismo, vamos nos unir, apoiar-se mutuamente e mostrar solidariedade às pessoas com autismo.”

Fontes: https://www.un.org/en/observances/autism-day